Em Comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente e para conscientizar a comunidade acadêmica sobre a importância de ações de preservação, a UNEOURO estará plantando árvores e distribuindo mudas hoje, dia 05/06/2014.

A data foi recomendada pela Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente, realizada em 1972, em Estocolmo, na Suécia.

Através do Decreto Federal 86.028, de 27 de maio de 1981, o governo brasileiro também estabeleceu que neste período em todo território nacional se promovesse a Semana Nacional do Meio Ambiente que tem por finalidade apoiar a participação da comunidade nacional na preservação do patrimônio natural do País.

 

Reflorestamento

É uma ação ambiental que visa repovoar áreas que tiveram a vegetação removida pelas forças da natureza (incêndios, por exemplo) ou ações humanas (queimadas, exploração de madeira, expansão de áreas agrícolas, queimadas). 

Arborização 

Podemos chamar também de reflorestamento o processo de arborização de áreas específicas onde não havia vegetação nas últimas décadas. Neste processo, são criadas pequenas florestas, principalmente com espécies lenhosas. Este processo é voltado principalmente para criação de áreas de lazer ou para melhorar a qualidade do ar em áreas que sofrem com a poluição ou aquecimento do ar (ilhas de calor). 

Objetivos

O reflorestamento é usado também para criar barreiras de árvores para proteger determinadas culturas da ação de fortes ventos.

Outro importante objetivo do reflorestamento é melhorar o desempenho de bacias hidrográficas.

Importância

O processo de reflorestamento é de grande importância para o meio ambiente. Ele é capaz, quando executado com eficiência, de recuperar áreas verdes com espécies nativas, melhorando ecossistemas degradados.

Usando o processo de reflorestamento, muitas empresas deixam de comprar madeira proveniente do corte ilegal, poupando a natureza.

O processo de reflorestamento é aplicado também em áreas de encostas com o objetivo de impedir deslizamentos de terras. Neste contexto, ele também é eficaz no combate à erosão do solo.

Podemos contribuir sendo mais conscientes quando estivermos consumindo esses recursos (água e energia) dentro da nossa casa, dentro da nossa empresa, etc.

• Uma torneira aberta gasta, em média, de 12 a 20 litros de água por minuto. Manter a torneira fechada quando não estiver usando evita desperdício.

• Um banho ecologicamente correto não deve ultrapassar 5 minutos com o chuveiro aberto. Durante a escovação dos dentes mantenha a torneira sempre fechada.

• O vaso sanitário é responsável por 70% do consumo de água (descargas antigas) em um condomínio.  Só use a descarga para suas necessidades básicas.

• Antes de lavar a louça, aproveite os guardanapos descartáveis (usados) e retire os resíduos dos pratos, travessas e panelas.  Assim você economiza água e evita que esse resíduos comprometam suas tubulações (esgoto).

• Use a máquina de lavar roupas sempre com a capacidade máxima para evitar desperdício de água e energia.

• Procure molhar o jardim sempre na primeira hora do dia ou no final do dia. No verão molhe duas vezes, 15 minutos são suficientes. Não use a mangueira para lavar calçadas.

• Apague as luzes quando não estiver usando e desligue os aparelhos elétricos (stand by). Abra as cortinas durante o dia para receber a luz natural (energia limpa e renovável).

• Não jogue comida no lixo, aproveite as sobras e reinvente novos pratos ou doe para quem tem fome. Até o alimento chegar a nossa mesa são gostos milhões de litros de água potável e quando a comida é descartado no lixo compromete a vida útil do Aterro sanitário.

• Separe os resíduos recicláveis (papel, plástico, vidro,  metal, etc.) e o óleo usado (fritura) em garrafas pet e faça doação para cooperativas e/ou projetos.  Esses resíduos descartados de forma inadequada poluem rios e lagoas e mais produtos químicos serão usados para deixar a água potável, própria para o consumo humano.

Se cada um fizer a sua parte, sendo consciente na hora de comprar, de usar e de descartar, é possível minimizar os impactos ambientais e possibilitar o futuro das próximas gerações.