Acadêmicas do 3º Período de Enfermagem da UNEOURO, realizaram na noite de ontem (8, Dia da Mulher), uma manifestação com cartazes alertando para a necessidade de se utilizar a data para a reflexão quanto à necessidade – ainda urgente – de que a Sociedade no qual vivemos, acima de tudo, trate a mulher com maior respeito às suas individualidades.

Os cartazes exibidos pelas alunas continham frases e dados que atestam os altos índices de violência à mulher, diferenças salariais para mesmos cargos, a banalização do assédio sexual, objetificação da figura feminina em setores fundamentais da sociedade, dentre outros questionamentos.

A acadêmica Jeiéli Laís Borges, idealizadora da intervenção, enfatizou a importância de atos em prol da real igualdade entre os gêneros. “Infelizmente estamos em uma realidade no qual os homens já nascem privilegiados. O Dia da Mulher não deve ser uma data de homenagens se todos os outros dias do ano somos tratadas com desrespeito em nossos empregos, em festas, em discussões relacionadas à nossa saúde. Nosso propósito é trazer a tona os graves problemas sociais que atingem a população feminina”, alertou.

 

Jeiéli conta também que se surpreendeu com a adesão das colegas ao propor a idéia da ação. “Confesso que não esperava que mais gente abraçasse esta intervenção e já valeu a pena pela adesão de mais meninas da Uneouro. Nosso movimento é legítimo e já fez diferença”, arrematou a idealizadora da ação.